domingo, 9 de maio de 2010

Marechal Tito é lembrado nostalgicamente na ex-Iugoslávia

O fascismo nasceu sob os auspícios da reação internacional, que o criou e desenvolveu visando dele servir-se para atacar o país do socialismo, a grande União Soviética, para atacar a classe operária e sua vanguarda, o Partido Comunista, e para golpear todas as demais forças progressistas em todos os países do mundo.
 (Tito, em discurso de 1947)

No último dia 4, aos prantos, pessoas da Eslovênia, Bósnia, Sérvia , Croácia, Montenegro, Kosovo e Macedônia recordam os 30 anos da morte de Josip Broz Tito.

Marechal Tito, durante a segunda guerra, liderou os partisans: a resistência guerrilheira às forças de Hitler.
Foi a única nação do leste europeu a expulsar os nazistas sem ajuda da URSS.
E essa foi uma das razões que deram grande autoridade moral a Tito, o suficiente para dar uma banana às ingerências de Stalin e construir o modelo iugoslavo de socialismo, o que acabou lhe rendendo a acusação de ser “capitalista”/“trotskista” por parte do soviético.
Seu governo dialogava inclusive com nações do ocidente capitalista. O líder partisan foi , junto com Fidel Castro, fundador do movimento dos países não alinhados, as nações do terceiro mundo que buscavam seu caminho sem funcionar como satélites do imperialismo estadunidense ou do stalinismo.
Os cidadãos do país balcânico podiam viajar, sem restrições, a qualquer lugar do mundo, as artes não sofreram censura e periódicos críticos ao governo circulavam livremente. 


O sistema socialista da Iugoslávia era fundamentalmente calcado nas práticas de autogestão operária, onde as empresas não apenas eram gerenciadas por seus trabalhadores, como também eram sua propriedade. Solução de Tito para a garantia da eficiência econômica na produção.
Alguns teóricos consideram o sistema como o mais próximo do chamado comunismo de conselhos operários, enquanto outros, mais críticos, vêem uma série de problemas como o corporativismo, por exemplo, onde as categorias de trabalhadores passariam a alimentar rivalidade entre si, por conta de coisas como distribuição dos lucros e benefícios.



Todo caso, o maior mérito de Tito foi o de, enquanto esteve vivo, conseguir acabar com o pior problema da região:
A secular guerra fraticida entre as várias etnias existentes.
Após sua morte, e com o colapso do stalinismo no leste europeu, os nacionalismos afloraram, gerando uma guerra sangrenta que partiu a velha Iugoslávia em várias repúblicas.
Na Alemanha, existe o fenômeno da Ostalgie ("nostalgia do leste"), onde os alemães da antiga DDR (Alemanha oriental) mostram-se profundamente decepcionados com a chegada da capitalismo, e saudosos de uma época onde se trabalhava menos, inexistia desemprego e havia seguridade social total.
Na península balcânica, é o fenômeno da Yugo-nostalgia que salta aos olhos:
Pelas mesmas razões da Ostalgie, acrescidas do fator paz; é consenso que o morticínio gerado pelas guerras étnicas nos anos 90 não precisava ter acontecido.

Vejam estes dois vídeos:

O sérvio Petkovic (um "cara que venceu no capitalismo") dá um corte seco em Ana Maria Braga (militante do Cansei) e faz defesa do socialismo:



Vídeo com tributo a Tito, um dos vários que proliferam pela internet. 
"Druze Tito Mi Ti Se Kunemo" pode ser traduzido como "Camarada Tito, estamos comprometidos com você"




Para não falarem que este Blog está tendencioso demais, coloco link para uma reportagem sobre o assunto na insuspeitíssima "Rádio Europa Livre" (criada na guerra fria pelos EUA para fazer guerra ideológica contra a URSS, ainda mantém suas transmissões no leste europeu)




E aqui vai a indicação de um bom  Blog: Yugoboy - Um Carioca na ex-Iugoslávia

A citação feita no início da postagem está contida num discurso chamado "A Frente Popular na Iugoslávia".

5 comentários:

  1. Muito boa a postagem camarada!
    ABS!

    ResponderExcluir
  2. Mto bom e esclarecedor este post! Gostei! Aliás, o seu blogue é mto bom, sempre que posso venho dar uma espreitadela e, de vez em quando, "roubo" algumas postagens. Vou passar esta para o meu espaço

    ResponderExcluir
  3. Rapaz, o que mais gosto no Marechal Tito era a tremenda coragem dele em relação ao Stalin, ser heterodoxo na posição dele não era brincadeira.
    E era um verdadeiro democrata do comunismo, ou um cara democrático dentro do marxismo-leninismo, principalmente pela idéia da autogestão do trabalho nas empresas. O socialismo anda caído hoje, mas ninguém mais se atreve a dizer que o comunismo "acabou".

    ResponderExcluir
  4. Se o Socialismo anda caído, o capitalismo anda oq?

    ResponderExcluir