domingo, 31 de outubro de 2010

Depois de um operário - uma mulher!

Bispo abre apoio a Dilma: “Ninguém tem maior amor que aquele que dá a própria vida pelos irmãos”

O bispo Dom Luiz Carlos Eccel, de Caçador, Santa Catarina, divulgou nesta sexta-feira, 29, uma carta de apoio à candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. Segue a íntegra da carta:

Já havia lido o discurso do Papa Bento XVI, aos Bispos do Maranhão, em visita ad limina apostolorum. Muito interessante o discurso do Papa. Ele não pode deixar de cumprir sua missão de Pastor Universal, exortando o Povo de Deus, especialmente no que diz respeito à defesa da VIDA.

O Santo Padre foi muito oportuno e feliz nas suas colocações, porque o Estado Brasileiro é laico, mas seu povo é religioso, e isto precisa ser respeitado. Quando digo que o povo é religioso é porque está disposto a fazer a Vontade de Deus e não somente dizer: Senhor, Senhor…, como às vezes se pretende, de maneira especial dentro da própria Igreja. Existem facções sociais, políticas e religiosas especializadas em fazer lavagem cerebral, deixando as pessoas sem convicções, mas com obsessões, e com a consciência invencivelmente errônea. Ficam semelhantes aos grãos de pipoca que levados ao fogo não estouram, e com mais fogo, mais duros ficam. Tornam-se donas da “verdade”. Estão até manipulando o texto do Papa, para
justificar a sede do poder. (cf. http://www.releituras.com/rubemalves_pipoca.asp)

É a Vontade de Deus que nos salva e não a nossa, e sobre isto precisamos sempre nos exortar mutuamente, como diz o Apóstolo São Paulo. Portanto, que nossa fé seja sempre vivificada pela mútua exortação. Pode ocorrer de nos esquecermos que somos todos peregrinos caminhando para a Casa do Pai, e quando lá chegarmos, poderemos ouvir de Jesus o seguinte:

“Afastai-vos de mim, vós que praticastes a injustiça, a maldade” (Lc13,27). Creio que ninguém vai querer ouvir isto naquela hora. Seu passaporte está em dia? Pode ter certeza de que a eternidade existe… Assim, busquemos alimentar nossa fé, sem esquecer, como diz o Papa, que ela deve implicar na política. A fé sem obras é morta, diz a Escritura Sagrada. E uma das obras que deve provir da fé, é o nosso voto consciente em pessoas que vão governar para o bem comum, respeitando a vida em todas as suas etapas e dimensões.

No mesmo dia em que li o discurso do Papa, assistindo ao telejornal, à noite, escutei o pronunciamento da candidata e do candidato à presidência do Brasil a respeito do discurso do Papa. Ambos concordaram com as Palavras do Papa, dizendo que é missão dele exortar para uma vida coerente com os valores da fé e da moral, e que as palavras do Papa valem para todas as pessoas de fé, no mundo inteiro. O Papa falou, também, que o voto deve estar a serviço da construção de uma sociedade justa e fraterna, defensora vida.

Como Bispo da Igreja Católica, e como cidadão brasileiro, fico feliz por saber que nosso Presidente tem defendido a vida, e sempre se pronunciou contra o aborto. Nesses últimos anos o Brasil tem crescido e melhorado em todos os aspectos, de maneira especial no respeito à vida e a valorização da dignidade humana. Esta é a Vontade de Deus! E as pessoas, em plena posse de suas faculdades mentais, vão reconhecer esta verdade.

Nosso país está em pleno desenvolvimento e assim queremos continuar e, depois de 500 anos, nosso povo quer eleger, pela primeira vez, uma mulher que tem compromisso com a vida e provou isso com sua própria vida. Como? Ela não fugiu para o exterior durante a ditadura, mas a enfrentou com garra e, por isso, foi presa e torturada. Ela queria um país livre, e que todas as pessoas pudessem viver sem medo de serem felizes, vencendo a mentira e o ódio com a verdade e o amor, servindo aos ideais de liberdade e justiça, com sua própria vida. Disse Jesus: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a própria vida pelos irmãos” (Jo 15,13).

Obrigado Santo Padre por suas sábias palavras! A Dilma é a resposta para as nossas inquietações a respeito da vida. Quem sofreu nos porões da ditadura, não mata. Mas teve gente que matou a vida no seu ventre para fugir da ditadura, e portanto não deveria se comportar como os fariseus, que jogam pedras, sabendo-se pecadores. E Jesus disse: “Quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la, e quem entregar sua vida por causa de mim, vai salvá-la” (Mt 10,39).

Vamos fazer o nosso Brasil avançar ainda mais, com Dilma, que já provou ser coerente, competente e comprometida com a VIDA. O dragão devastador não pode voltar ao poder. Deus abençoe os leitores e eleitores, governos e governados. Saúde e paz a todos (as)! Tudo o que você me desejar, eu lhe desejo cem vezes mais. Obrigado.

Caçador, 28 de outubro de 2010
Dom Luiz Carlos Eccel
Bispo Diocesano de Caçador

Fonte: RS Urgente

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Theotonio dos Santos escreve carta aberta a FHC

O plano Real não derrubou a inflação e sim uma deflação mundial que fez cair as inflações no mundo inteiro. A inflação brasileira continuou sendo uma das maiores do mundo durante o seu governo. O real foi uma moeda drasticamente debilitada. Isto é evidente: quando nossa inflação esteve acima da inflação mundial por vários anos, nossa moeda tinha que ser altamente desvalorizada. De maneira suicida ela foi mantida artificialmente com um alto valor que levou à crise brutal de 1999. Outro mito é que seu governo foi um exemplo de rigor fiscal. Um governo que elevou a dívida pública do Brasil de 60 bilhões de reais em 1994 para mais de 850 bilhões, oito anos depois, é um exemplo de rigor fiscal? O artigo é de Theotonio dos Santos.

Meu caro Fernando,

Vejo-me na obrigação de responder a carta aberta que você dirigiu ao Lula, em nome de uma velha polêmica que você e o José Serra iniciaram em 1978 contra o Rui Mauro Marini, eu, André Gunder Frank e Vânia Bambirra, rompendo com um esforço teórico comum que iniciamos no Chile na segunda metade dos nos 1960. A discussão agora não é entre os cientistas sociais e sim a partir de uma experiência política que reflete contudo este debate teórico. Esta carta assinada por você como ex-presidente é uma defesa muito frágil teórica e politicamente de sua gestão. Quem a lê não pode compreender porque você saiu do governo com 23% de aprovação enquanto Lula deixa o seu governo com 96% de aprovação. Já discutimos em várias oportunidades os mitos que se criaram em torno dos chamados êxitos do seu governo. Já no seu governo vários estudiosos discutimos, já no começo do seu governo, o inevitável caminho de seu fracasso junto à maioria da população. Pois as premissas teóricas em que baseava sua ação política eram profundamente equivocadas e contraditórias com os interesses da maioria da população. (Se os leitores têm interesse de conhecer o debate sobre estas bases teóricas lhe recomendo meu livro já esgotado: Teoria da Dependencia: Balanço e Perspectivas, Editora Civilização Brasileira, Rio, 2000).

Contudo nesta oportunidade me cabe concentrar-me nos mitos criados em torno do seu governo, os quais você repete exaustivamente nesta carta aberta.

O primeiro mito é de que seu governo foi um êxito econômico a partir do fortalecimento do real e que o governo Lula estaria apoiado neste êxito alcançando assim resultados positivos que não quer compartilhar com você... Em primeiro lugar vamos desmitificar a afirmação de que foi o plano real que acabou com a inflação. Os dados mostram que até 1993 a economia mundial vivia uma hiperinflação na qual todas as economias apresentavam inflações superiores a 10%. A partir de 1994, TODAS AS ECONOMIAS DO MUNDO APRESENTARAM UMA QUEDA DA INFLAÇÃO PARA MENOS DE 10%. Claro que em cada pais apareceram os “gênios” locais que se apresentaram como os autores desta queda. Mas isto é falso: tratava-se de um movimento planetário.

No caso brasileiro, a nossa inflação girou, durante todo seu governo, próxima dos 10% mais altos. TIVEMOS NO SEU GOVERNO UMA DAS MAIS ALTAS INFLAÇÕES DO MUNDO. E aqui chegamos no outro mito incrível. Segundo você e seus seguidores (e até setores de oposição ao seu governo que acreditam neste mito) sua política econômica assegurou a transformação do real numa moeda forte. Ora Fernando, sejamos cordatos: chamar uma moeda que começou em 1994 valendo 0,85 centavos por dólar e mantendo um valor falso até 1998, quando o próprio FMI exigia uma desvalorização de pelo menos uns 40% e o seu ministro da economia recusou-se a realizá-la “pelo menos até as eleições”, indicando assim a época em que esta desvalorização viria e quando os capitais estrangeiros deveriam sair do país antes de sua desvalorização, O fato é que quando você flexibilizou o cambio o real se desvalorizou chegando até a 4,00 reais por dólar. E não venha por a culpa da “ameaça petista” pois esta desvalorização ocorreu muito antes da “ameaça Lula”. ORA, UMA MOEDA QUE SE DESVALORIZA 4 VEZES EM 8 ANOS PODE SER CONSIDERADA UMA MOEDA FORTE? Em que manual de economia? Que economista respeitável sustenta esta tese?

Conclusões: O plano Real não derrubou a inflação e sim uma deflação mundial que fez cair as inflações no mundo inteiro. A inflação brasileira continuou sendo uma das maiores do mundo durante o seu governo. O real foi uma moeda drasticamente debilitada. Isto é evidente: quando nossa inflação esteve acima da inflação mundial por vários anos, nossa moeda tinha que ser altamente desvalorizada. De maneira suicida ela foi mantida artificialmente com um alto valor que levou à crise brutal de 1999.

Segundo mito; Segundo você, o seu governo foi um exemplo de rigor fiscal. Meu Deus: um governo que elevou a dívida pública do Brasil de uns 60 bilhões de reais em 1994 para mais de 850 bilhões de dólares quando entregou o governo ao Lula, oito anos depois, é um exemplo de rigor fiscal? Gostaria de saber que economista poderia sustentar esta tese. Isto é um dos casos mais sérios de irresponsabilidade fiscal em toda a história da humanidade.

E não adianta atribuir este endividamento colossal aos chamados “esqueletos” das dívidas dos estados, como o fez seu ministro de economia burlando a boa fé daqueles que preferiam não enfrentar a triste realidade de seu governo. Um governo que chegou a pagar 50% ao ano de juros por seus títulos para, em seguida, depositar os investimentos vindos do exterior em moeda forte a juros nominais de 3 a 4%, não pode fugir do fato de que criou uma dívida colossal só para atrair capitais do exterior para cobrir os déficits comerciais colossais gerados por uma moeda sobrevalorizada que impedia a exportação, agravada ainda mais pelos juros absurdos que pagava para cobrir o déficit que gerava.

Este nível de irresponsabilidade cambial se transforma em irresponsabilidade fiscal que o povo brasileiro pagou sob a forma de uma queda da renda de cada brasileiro pobre. Nem falar da brutal concentração de renda que esta política agravou dráticamente neste pais da maior concentração de renda no mundo. Vergonha, Fernando. Muita vergonha. Baixa a cabeça e entenda porque nem seus companheiros de partido querem se identificar com o seu governo...te obrigando a sair sozinho nesta tarefa insana.

Terceiro mito - Segundo você, o Brasil tinha dificuldade de pagar sua dívida externa por causa da ameaça de um caos econômico que se esperava do governo Lula. Fernando, não brinca com a compreensão das pessoas. Em 1999 o Brasil tinha chegado à drástica situação de ter perdido TODAS AS SUAS DIVISAS. Você teve que pedir ajuda ao seu amigo Clinton que colocou à sua disposição ns 20 bilhões de dólares do tesouro dos Estados Unidos e mais uns 25 BILHÕES DE DÓLARES DO FMI, Banco Mundial e BID. Tudo isto sem nenhuma garantia.

Esperava-se aumentar as exportações do pais para gerar divisas para pagar esta dívida. O fracasso do setor exportador brasileiro mesmo com a espetacular desvalorização do real não permitiu juntar nenhum recurso em dólar para pagar a dívida. Não tem nada a ver com a ameaça de Lula. A ameaça de Lula existiu exatamente em conseqüência deste fracasso colossal de sua política macro-econômica. Sua política externa submissa aos interesses norte-americanos, apesar de algumas declarações críticas, ligava nossas exportações a uma economia decadente e um mercado já copado. A recusa dos seus neoliberais de promover uma política industrial na qual o Estado apoiava e orientava nossas exportações. A loucura do endividamento interno colossal. A impossibilidade de realizar inversões públicas apesar dos enormes recursos obtidos com a venda de uns 100 bilhões de dólares de empresas brasileiras. Os juros mais altos do mundo que inviabilizava e ainda inviabiliza a competitividade de qualquer empresa.

Enfim, UM FRACASSO ECONOMICO ROTUNDO que se traduzia nos mais altos índices de risco do mundo, mesmo tratando-se de avaliadoras amigas. Uma dívida sem dinheiro para pagar... Fernando, o Lula não era ameaça de caos. Você era o caos. E o povo brasileiro correu tranquilamente o risco de eleger um torneiro mecânico e um partido de agitadores, segundo a avaliação de vocês, do que continuar a aventura econômica que você e seu partido criou para este país.

Gostaria de destacar a qualidade do seu governo em algum campo mas não posso fazê-lo nem no campo cultural para o qual foi chamado o nosso querido Francisco Weffort (neste então secretário geral do PT) e não criou um só museu, uma só campanha significativa. Que vergonha foi a comemoração dos 500 anos da “descoberta do Brasil”. E no plano educacional onde você não criou uma só universidade e entou em choque com a maioria dos professores universitários sucateados em seus salários e em seu prestígio profissional. Não Fernando, não posso reconhecer nada que não pudesse ser feito por um medíocre presidente.

Lamento muito o destino do Serra. Se ele não ganhar esta eleição vai ficar sem mandato, mas esta é a política. Vocês vão ter que revisar profundamente esta tentativa de encerrar a Era Vargas com a qual se identifica tão fortemente nosso povo. E terão que pensar que o capitalismo dependente que São Paulo construiu não é o que o povo brasileiro quer. E por mais que vocês tenham alcançado o domínio da imprensa brasileira, devido suas alianças internacionais e nacionais, está claro que isto não poderia assegurar ao PSDB um governo querido pelo nosso povo. Vocês vão ficar na nossa história com um episódio de reação contra o vedadeiro progresso que Dilma nos promete aprofundar. Ela nos disse que a luta contra a desigualdade é o verdadeiro fundamento de uma política progressista. E dessa política vocês estão fora.

Apesar de tudo isto, me dá pena colocar em choque tão radical uma velha amizade. Apesar deste caminho tão equivocado, eu ainda gosto de vocês ( e tenho a melhor recordação de Ruth) mas quero vocês longe do poder no Brasil. Como a grande maioria do povo brasileiro. Poderemos bater um papo inocente em algum congresso internacional se é que vocês algum dia voltarão a freqüentar este mundo dos intelectuais afastados das lides do poder.

Com a melhor disposição possível mas com amor à verdade, me despeço

thdossantos@terra.com.br
http://theotoniodossantos.blogspot.com/

(*) Theotonio Dos Santos é Professor Emérito da Universidade Federal Fluminense, Presidente da Cátedra da UNESCO e da Universidade das Nações Unidas sobre economia global e desenvolvimentos sustentável. Professor visitante nacional sênior da Universidade Federal do Rio de Janeiro. 
 
Fonte: Carta Maior

terça-feira, 26 de outubro de 2010

ONU ratifica rejeição mundial ao bloqueio a Cuba

A solidão do governo norte-americano voltou a ficar em evidência na Assembleia Geral durante a votação de uma resolução intitulada Necessidade de pôr fim ao bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos da América contra Cuba.

O principal órgão da ONU repudiou a continuação dessa medida por 187 votos a favor, dois contra (Estados Unidos e Israel) e três abstenções (Ilhas Marshall, Micronésia e Palau).

Trata-se da décima nona ocasião em igual quantidade de anos que o plenário da Assembleia condena o cerco estadunidense à ilha caribenha.

A primeira foi em 24 novembro de 1992 quando a 47 sessão ordinária desse órgão aprovou por 59 votos a favor, três na contramão e 71 abstenções o primeiro pronunciamento nesse sentido.

A resolução aprovada nesta terça-feira reafirma os princípios de igualdade soberana entre os Estados, não intervenção e não ingerência nos assuntos internos e liberdade de comércio e navegação internacionais.

Também recusa a promulgação e aplicação de leis e disposições como a chamada Helms-Burton, "cujos efeitos extraterritoriais afetam à soberania de outros Estados, aos interesses legítimos de entidades ou pessoas sob sua jurisdição e à liberdade de comércio e navegação".

Também recorda as 18 resoluções aprovadas pela Assembleia Geral a cada ano desde 1992 a 2009 e as declarações e acordos de diferentes foros intergovernamentais, órgãos e governos em rejeição à promulgação e aplicação de medidas desse tipo.

A respeito, aponta que apesar dessas decisões do máximo foro da ONU, continuam promulgando-se e se aplicando novas medidas dirigidas a reforçar e ampliar o bloqueio econômico, comercial e financeiro contra Cuba.

Nesse sentido, expressa a preocupação da ONU pelos efeitos negativos dessas medidas sobre a população cubana e os nacionais de Cuba residentes em outros países.

Em sua parte resolutiva, o texto reitera seu exortação a todos os Estados a que se abstenham de promulgar e aplicar leis e medidas como as do bloqueio a Cuba e chama a cumprir as obrigações contidas na Carta da ONU e o direito internacional.

Também "chama uma vez mais aos Estados que existem e continuam se aplicando leis e medidas desse tipo a que, no prazo mais breve possível e de acordo com seu ordenamento jurídico, tomem as medidas necessárias para derrogá-las ou deixá-las sem efeito".

Por último, pede ao secretário geral da ONU que prepare um relatório sobre o cumprimento da resolução para o apresentar no 66 período de sessões da Assembleia no ano próximo, quando o tema do bloqueio voltará a ser debatido.

Na votação do ano passado, 187 países pronunciaram-se contra a medida norte-americana, a quantidade mais alta registrada sobre esse assunto, com somente três contra (Estados Unidos, Israel e Palau) e duas abstenções (ilhas Marshall e Micronésia).

De acordo com as autoridades da ilha caribenha, o bloqueio tem custado a Cuba 751 bilhões 363 milhões de dólares, cifra ainda conservadora baseada na depreciação do dólar frente ao ouro.

Ator Zé de Abreu arromba José Serra


Segundo a Wikipedia, Abreu foi preso em congresso da UNE, pertenceu à Ação Popular e deu "apoio logístico" à VAR-Palmares, Vanguarda Armada Revolucionária, um grupo de esquerda que combatia com ações armadas o regime militar.

Assista a esse vídeo - imperdível - em que ele detona o fujão da UNE José Serra:







Dilma Adventure II



Com bolinhas de papel!

35 Anos do assassinato de Vladimir Herzog


Ontem completaram-se 35 anos da morte de "Vlado" nos porões da ditadura.
E aí "defensores" da liberdade de empr...imprensa?
Vão informar ao povo do porquê de ele ter sido assassinado e com quem ele lutava contra a ditadura?
Nunca esqueceremos!

Veja sua biografia no Instituto Vladimir Herzog

ANTES, assista ao vídeo abaixo, de Serra, presente na inauguração do citado instituto, dias após ter mandado a tropa de choque invadir a USP. 
O homem que, segundo a Veja, preparou-se a vida inteira para ser presidente dá um tapa na câmera, ao ser questionado sobre o massacre no campus.
Alguém ainda quer votar neste perturbado mental?



Senador eleito tucano agride imprensa antes de debate na Record

O senador eleito por São Paulo, Aloysio Nunes (PSDB), perdeu a cabeça logo ao chegar aos estúdios da Record, para o debate entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). O tucano passou a xingar o repórter da Rede Brasil Atual e Revista do Brasil, João Peres, após ser avisado por um assessor de quais publicações se tratavam.
"Não vou conversar com você, seu pelego filho da p... Esta revista é bancada pelo PT", disse ao sair.
"A Editora Atitude, que publica os dois veículos (Rede Brasil Atual e Revista do Brasil), condena a postura do senador eleito e entende que liberdade de expressão não é agredir verbalmente quem está em seu direito constitucional de exercer a liberdade de imprensa, muito menos a função de um representante de um Estado no Senado Federal", diz o diretor da editora Paulo Salvador.

Censura 
 
Na semana passada, a coligação tucana pediu, em segredo de Justiça, censura ao número 52 da Revista do Brasil fosse retirada das bancas e do site. O pedido foi atendido em parte pelo TSE. Com isso, o número continua fora de circulação.
Nesta quarta-feira, várias entidades fazem um ato no Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, contra a censura pedida pelo PSDB, a partir das 19h.

E fica a pergunta, onde estão os "defensores" da liberdade de imprensa, do naipe de Arnaldo Jabor e Cia?

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Ato em apoio à luta do povo cubano na Assembleia Legislativa do RS

No próximo dia 26 de outubro, a ONU (Organização das Nações Unidas), estará discutindo a continuidade ou não do bloqueio econômico imposto a Cuba. Até lá, em todo o mundo, o movimento em solidariedade ao povo cubano estará realizando manifestações pelo fim desta injustiça imposta à nação cubana. Conscientes da importancia desta tarefa, a Frente Parlamentar Gaúcha em Solidariedade ao Povo Cubano e a Associação Cultural José Martí, estarão promovendo um ato pelo fim do bloqueio:


25 DE OUTUBRO (2ª FEIRA) - 18h


ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO RS

SALA DA CONVERGÊNCIA - TÉRREO

PRESENÇA DO EMBAIXADOR CUBANO

CARLOS ZAMORA

Pelo Fim do Bloqueio contra Cuba.

Pela Libertação dos 5 Patriotas Cubanos Presos pelos EUA.

XVIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba

sábado, 23 de outubro de 2010

Professor de Jornalismo Gráfico desmonta versão de Serra atingido por fita crepe

Desde o final da manha desta sexta-feira, o sitio do professor José Antonio Meira da Rocha na internet encontra-se fora do ar. O professor de Jornalismo Gráfico da Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Educação Superior Norte-RS (UFSM/CESNORS), campus de Frederico Westphalen, Rio Grande do Sul, Brasil analisou um a um os quadros do filme que traz o momento em que um segundo objeto, além da bolinha de papel, teria atingido a superfície calva do candidato tucano à Presidência, José Serra. Ao constatar que sua página estava fora do ar, José Rocha as divulgou em outros sítios da internet e as coloca ao dispor das autoridades para posterior comprovação.
Chamou a atenção do professor o fato de o Jornal Nacional, exibido na véspera, dispensar longos sete minutos à tentativa de demonstrar que José Serra fora atingido por um rolo de fita adesiva. Contratou, a preço não revelado, o perito Ricardo Molina, cujo currículo inclui a tentativa de acusar o MST pelo massacre de Eldorado de Carajás; de garantir que o braço direito do ex-presidente Fernando Collor de Melo, PC Farias, suicidou-se; além de questionar as provas sobre a responsabilidade da família Nardoni na morte da menina Isabela. Estava evidente a tentativa dos meios conservadores de comunicação de frear a onda de indignação (e de deboche) que varreu o país em minutos, assim que as imagens da rede de TV SBT foram apresentadas, com a bolinha de papel atingindo o candidato.
José Rocha, no entanto, analisou as imagens do Jornal Nacional, quadro a quadro, e chegou às seguintes conclusões, publicadas em seu blog:
“a) o suposto rolo de fita crepe, ou durex, não aparece em nenhum dos quadros anteriores ou posteriores ao momento em que se “choca” com a cabeça de Serra. Teria surgido do nada;
“b) um truque elementar na manipulação de vídeos (um artifact de compressão) é suficiente para gerar imagem idêntica à exibida no Jornal Nacional”.

A análise de Meira Rocha foi resumida abaixo:


Em outra sequência de imagens, publicada noite passada aqui no CdB, o médico que atendeu o candidato, Jacob Kligerman, ex-assessor do presidenciável José Serra, apresentava um local distinto daquele avaliado por Molina como o ponto onde o candidato tucano teria sido acertado pelo objeto que, em tese, o havia ferido a ponto de precisar ser submetido a uma tomografia.
“Toda a produção jornalística pode ser digitalizada. Tudo o que é publicado está à mercê de chatos que salvam, gravam, colecionam, digitalizam com plaquinhas de 120 reais. Como eu, que gosto de gravar TV na minha Pixelview PlayTV Pro. Por isso, hoje, é inconcebível que a grande imprensa, sofrendo há muito com as mudanças provocadas pela digitalização, tente enganar seu digitalizado público com armações grotescas como esta aprontada pelo Jornal Nacional de 2010-10-22, com ajuda da Folha.com e do repórter Ítalo Nogueira” escreveu o professor José Rocha ao sítio Outras Palavras.
E acrescentou: “Será que a velha mídia não se dá conta que qualquer pessoa pode gravar TV e passar quadro-a-quadro? E que, fazendo isto, a pessoa pode ver que não há nenhum rolo de fita crepe sendo atirado contra o candidato José Serra? Que o detalhe salientado em zoom numa extensa matéria de 7 minutos não passava de um artifact de compressão de vídeo sobreposto à cabeça de alguém ao fundo? Que não se vê no vídeo quadro-a-quadro nenhum objeto indo ou vindo à cabeça do candidato?”

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Jogue Dilma Adventure!

Escape dos Zumbis-Serra, recolha as estrelinha e os votos! 


Se a coisa complicar, aperte SHIFT e solte um especial (o Lula aparece em uma bola de fogo e aniquila os zumbis)

Joque AQUI

E agora, José?

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Recomendação médica a Serra

Repouso de 4 anos

Serra foi aluno do goleiro Rojas quando esteve no Chile

Pra quem não lembra ou não vivenciou o caso do goleiro Rojas:

Em 3 de setembro de 1989, aos 24 minutos do segundo tempo da partida Brasil vs. Chile, válido pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 1990, foi lançado no gramado do estádio do Maracanã um sinalizador luminoso, do mesmo tipo utilizado em embarcações, que caiu próximo ao goleiro Roberto Rojas parecendo o atingir. Naquele momento o placar do jogo era 1 a 0 para o Brasil (gol de Careca) e o goleiro, aproveitando-se da situação, caiu no gramado e simulou um ferimento supostamente causado pelo artefato luminoso, utilizando-se de um tipo de lâmina que ele guardava dentro da luva, o que causou a paralisação da partida. Em entrevista à revista Placar, em 1995, Rojas declarou que o disparo do sinalizador foi uma coincidência: sabendo que sua equipe tinha poucas chances de vencer o Brasil, Rojas teve a idéia de cortar o próprio rosto para dar a impressão de que um torcedor teria lhe atirado uma pedra enquanto iria buscar uma bola fora.
(Wikipedia)


Rojas, "atingido" por um foguete

Rojas foi banido do futebol.

21 anos depois, no mesmo Rio de Janeiro, José Serra, candidato representante das forças do atraso, resolve fazer passeata próximo de onde estavam militantes do PT. 
Depois de um empurra-empurra entre os leões-de-chácara de Serra e o pessoal do PT, Serra leva uma bolinha de papel na cabeça e, depois de um telefonema, resolve construir um ridículo factoide, simulando ferimento na cabeça.

Serra "ferido", após dica por celular

Tal qual o goleiro chileno, o candidato do PSDB, em movimento desesperado ante a derrota iminente, resolve jogar sujo. 

Tal qual o goleiro chileno, Serra é desmascarado pelas câmeras de televisão, e tem sua versão vitimizante demolida rapidamente.

Lamentavelmente, este pré-derrotado aluno de Rojas seguirá na política nos anos vindouros.

Mas, no jogo da democracia, a população pode banir para sempre esse tipinho, ao dar seu cartão vermelho nas urnas.

Só para fazer justiça, apesar de seu ato insano, o goleiro chileno era um patriota. 
Já seu aluno entreguista...

Blog Na Práxis

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Cubanos comparam Yoani Sánchez à vilã Flora da novela "A Favorita"

Por Osmany Sánchez do Blog La Joven Cuba

 Los cubanos sin distinción de sexo, somos “noveleros” por excelencia, por eso todas las noches poco después de las nueve, nos sentamos frente al televisor para disfrutar de la telenovela de turno. Una de ellas es La Favorita, de factura brasileña, que pone a prueba la paciencia de los espectadores y a veces hasta le sube la presión a más de uno.
La trama es sencilla. Una mujer es acusada de un crimen, va a la cárcel durante 18 años y cuando regresa planea su venganza. En los primeros capítulos confunde a todos, pues la presentan a ella como buena y a la otra como mala (Donatela). Pero después las aguas toman su nivel y comienza a hacer de las suyas.

Flora, ese es su nombre, me recuerda a cierta bloguera que tenemos por casa, pues entre ambas existen varias similitudes:
  1. Flora estuvo fuera por 18 años. La bloguera también estuvo fuera durante un tiempo.
  2. Las dos tienen una sorprendente habilidad para hacer que todos les crean, aunque sean las mentiras más inverosímiles.
  3. Ambas gozan de una inteligencia poco común. Flora sale de la cárcel después de 18 años y se convierte en una excelente ejecutiva, la otra es una “FreeLancer” o profesora de español por cuenta propia que de pronto se transforma en informática y hasta escribe libros sobre sitios que ella no puede visitar.
  4. Flora tiene el pelo teñido de rubio y La bloguera usa una peluca rubia cuando se disfraza de alemana.
  5. A flora le encanta Europa y a la bloguera también (sobre todo los chocolates suizos).
  6. A flora la secuestraron y a la bloguera también. El de flora fue un secuestro falso y el de la bloguera también.
  7. Flora está enamorada de Zebob que es periodista. La bloguera está casada con un periodista.
  8. La actriz que encarna el personaje de Flora ha recibido varios premios. La mujer que encarna el personaje de la La bloguera también ha recibido muchos por el suyo.
  9. Flora sigue el guión al pie de la letra. La bloguera también sigue su guión.
  10. Flora tiene una relación difícil con Dodi, pues este la golpea. La bloguera también tiene una relación difícil con Rodney.
Me detengo aquí pero se pudieran poner más ejemplos, pues de verdad que los dos personajes se parecen.
Los invito a que busquen cualquier capítulo de La Favorita, puede ser al azar, para que vean la impotencia que sentirán cuando vean como Flora logra seducir a todos hasta convertirlos en corderillos que le creen todas sus historias. Después pueden entrar al blog de La bloguera y leer los comentarios para que vean que sentirán la misma sensación.

Audio do xingão do padre à turma de Serra

No último sábado, Serra e sua cambada invadiram uma missa no interior do Ceará. Deu tudo errado, foram vaiados pelos fiéis e tomaram pito do padre, que censurou os panfletos mentirosos que estavam sendo distribuídos pelos tucanos dentro da igreja.

Agora, para quem quiser dar uma conferida no sermão do padre, segue o áudio:

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Luciana mantém "imparcialidade ativa"

Do site da Luciana, após as críticas em relação à sua postura no seguindo turno:



"Aos que não gostaram da minha posição contra Serra digo: é coerente com o que sempre fui, de esquerda, contra o neoliberalismo e a corrupção.

Aos que não gostaram da minha recusa a apoiar Dilma digo: é coerente com o que sempre fui, de esquerda, contra o social liberalismo e a corrupção.

Não abrirei meu voto por não ter nenhum entusiasmo por ele. O segundo turno tem dessas coisas!"

sábado, 16 de outubro de 2010

Tucanos acusam padre que xingou Serra de "Petista"


O senador Tasso Jereissati, que acompanhou a missa ao lado de José Serra, se exaltou e afirmou que era um "padre petista" como aquele que estava "causando problemas à igreja". Outros partidários do tucano também se exaltaram, e o padre saiu escoltado por seguranças.


O panfleto não assinado que circulou na igreja falava em três 'grandes motivos para não votar em Dilma'. O texto acusa a candidata de ter se envolvido com a Farc, de ser favorável ao aborto e de casos de corrupção na Casa Civil.

Baixaria héim, tucanalha!? 

Informações retiradas do sítio da "não petista" Zero-Hora

Serra invade missa no Ceará, é vaiado, quase apanha e toma xingão do padre

"Isso é uma profanação"

Cristãos começam a reagir ao oportunismo religioso de Serra. A presença do candidato do conservadorismo nativo na missa da festa de São Francisco, em Canindé (CE), neste sábado, pode ter sido um ponto de inflexão. A festa é o maior evento religioso da cidade. Quando chegou, Serra foi vaiado por manifestantes pró-Dilma. O candidato chegou a ser empurrado num início de conflito. "Gostaria que a missa não fosse tumultuada com os políticos que aqui chegaram, por favor. Se vieram com outra intenção, peço que saiam assim como entraram. Isso é uma profanação", advretiu o celebrante olhando fixamente para a fileira da frente onde Serra estava. Perto do fim da missa, o frade exibiu um panfleto contra Dilma e foi mais duro ainda: "Acusam a candidata do PT em nome da igreja. Não é verdade. A plateia aplaudiu. "Não está autorizada essa coisa. A igreja não está autorizando essas coisas".Mais aplausos. Serra saiu à francesa.

De Carta Maior

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Mineiros chilenos, vítimas da flexibilização trabalhista

Demagogo

O presidente chileno Sebastian Piñera quer se fazer de herói do resgate dos mineiros, presos há mais de dois meses numa mina, mas ele é duplamente algoz dos trabalhadores daquele país. Em primeiro lugar, porque seu governo não controla as condições de exploração da força de trabalho, nem sequer do segmento mais importante da economia chilena. As condições subumanas de trabalho dos sofridos trabalhadores mineiros, principais produtores das riquezas fundamentais do país, não encontram nenhum controle dos órgãos do governo, além de que, com a quebra da empresa que os superexplora, nem sequer seus direitos básicos estão garantidos.

Mas de uma outra forma também Piñera é responsável pelas condições de trabalho dos trabalhadores chilenos. Ele é irmão de José Piñera – cujo grupo econômico é proprietário da LAN Chile, que acaba de comprar a TAM – tristemente famoso por ter introduzido a chamada lei de “flexibilização laboral”, com a conhecida cantilena de que, diminuindo os custos de contratação da mão de obra - às custas dos direitos dos trabalhadores – se expandiria o mercado de trabalho e diminuiria o desemprego.

Utilizou a enganosa expressão “flexibilização”, para expropriar direitos trabalhistas, a começar pelo contrato com carteira de trabalho, o emprego formal. A maioria dos trabalhadores foram jogados na informalidade. Submetidos a condições ilimitadas de exploração.

Usam duas palavras enganadoras: flexibilidade e informalidade, que seduzem (as preferimos à inflexibilidade e à formalidade), mas neste caso seu verdadeiro conteúdo é: precariedade das condições de trabalho. É trabalhar sem contrato, sem possibilidade de apelar à Justiça, de associar-se, de ter uma identidade social.

Essa política, nascida na ditadura do Pinochet, foi se associando a todos os governos neoliberais na América Latina, fazendo com que a maioria dos trabalhadores do continente passasse a ser estarem submetidos à precariedade laboral, a não ter contrato de trabalho.

O governo tucano de FHC-Serra adotou essa política, com os mesmos mecanismos e argumentos do José Piñera e da ditadura pinochetista, causando níveis de exploração da força de trabalho (extração da mais valia), de desemprego aberto e camuflado, de precariedade, jamais vistos no Brasil.

Esses mineiros chilenos foram, eles também vítimas dessas condições de trabalho, a mesma a que passaram a ser submetidos a maioria dos trabalhadores latinoamericanos.

O governo Lula recuperou, regularmente, os contratos de trabalho formal, que aumentaram sempre, ao longo dos dois mandatos presidenciais, depois ter recebido uma herança também socialmente maldita do governo FHC-Serra. Essa uma diferença essencial entre os dois governos: desamparo dos trabalhadores diante da exploração ou afirmação dos seus direitos formais de trabalho.

Jornalista descobre conexão entre nazista, DEM e Daniel Dantas

Denúncia de Rodrigo Vianna, publicada no blog Escrevinhador:

Não é difícil rastrear os caminhos da boataria que atingiu Dilma Rousseff, poucas semanas antes do primeiro turno. A campanha do PT parece não ter levado a sério a ameaça. E a boataria e as calúnias prosseguem.

O jornalista Tony Chastinet – colega com quem tive o prazer de dividir o prêmio Vladimir Herzog em 2007, e com quem produzi a série de reportagens sobre as centrais clandestinas de tortura durante a ditadura – fez um levantamento minucioso sobre a origem de um desses e-mails caluniosos.

Não precisou de dinheiro, nem de ferramentas especiais. Usou basicamente o “Google”. Gastou alguns minutos e usou a experiência de quem já investigou dezenas e dezenas de picaretas em suas reportagens investigativas.

Tony Chastinet descobriu que o email partiu de gente ligada à extrema-direita. Gente com nome, sobrenome e endereço. Confiram…

===

O caminho da calúnia

por Tony Chastinet

Recebi ontem à noite um daqueles e-mails nojentos e anônimos, que estão circulando na internet, com calúnias contra a candidata Dilma Roussef. Decidi gastar alguns minutos para tentar identificar os autores. Consegui, e repasso abaixo as informações sobre os autores da baixaria – incluindo as fontes da pesquisa.

Há um e-mail circulando na internet com o seguinte título: “Candidatos de esquerda”. Na mensagem há uma série de calúnias contra Dilma, e o pedido para se votar no Serra. Também recomenda a leitura do site www.tribunanacional.com.br.

Entrei na página e de cara me deparei com aquela foto montada da Dilma ao lado de um fuzil. Uma verdadeira central de calúnias ligada à extrema direita. Vejam uma amostra neste link http://www.tribunanacional.com.br/v2/editorial/a-terrorista/.

O e-mail foi enviado para minha caixa postal na noite de domingo. O remetente é um tal de Ingo Schimidt (ingo@tribunanacional.com.br). O site está registrado na Fapesp em nome do “Círculo Memorial Octaviano Pinto Soares”.

Essa associação tem CNPJ (026.990.366/0001-49), está localizada na SCRN, 706-707, Bloco B, Sala 125, na Asa Norte, em Brasília. O responsável pelo site chama-se Nei Mohn. Em uma pesquisa superficial na internet, descobre-se que ele foi presidente da “Juventude Nazista” em 1968. Era informante do Cenimar e suspeito de atos de terrorismo na década de 80 (bombas em bancas de jornais e outros atentados feitos pela tigrada da comunidade de informações). Também foi investigado por falsificar o jornal da Igreja Católica, atacando religiosos que denunciavam torturas, assassinatos e desaparecimentos (vejam abaixo nas fontes).

Nunca foi investigado e sequer punido pelas barbaridades que aprontou. Para isso, contou com a proteção dos militares e da comunidade de informações para abafar os escândalos e investigações.

Prossegui na pesquisa e descobri que o filho de Nei, o advogado Bruno Degrazia Möhn trabalha para um grande escritório de advocacia de Brasília contratado por Daniel Dantas para representar o deputado federal Alberto Fraga (DEM) em ação no TCU movida pelo deputado para tentar impedir a compra de ações da BRT/OI pelos fundos de pensão.

Interessante essa ligação entre a extrema direita, nazistas e Daniel Dantas. Mas tem mais.

No registro do site ainda há outros dois nomes apontados como responsáveis pela página: Antonio Afonso Xavier de Serpa Pinto e Zoltan Nassif Korontai.

Serpa Pinto trabalha na Secretaria da Fazenda de Mato Grosso. Korontai é responsável pelo site http://www.projetovendabrasil.com.br. É um negócio estranho como pode ser visto na página da internet. Ele atua na área de tecnologia e fez concurso para analista de sistemas no TRE do Paraná.

O cadastro do site dele está em nome da CliqueHost Internet Hosting e Eletro Eletrônicos (CNPJ 008.144.575/0001-90 – Avenida Doutor Chucri Zaidan, 246, SL 18, São Paulo). O responsável chama-se Frederich Resende Soares Marinho.

Marinho é consultor de informática e trabalha em Piraúba (MG). Há uma série de reclamações de que ele vendeu hospedagens de site e não entregou o serviço. Ele é membro da Assembleia de Deus em Sorocaba.

Outro dado interessante: Ingo coloca um link no e-mail para quem não quiser mais receber as mensagens. Esse link aponta para o seguinte endereço: ingo.newssender.com.br. Newssender é um serviço de marketing eletrônico (leia-se spam) registrado e vendido pela Locaweb Serviços de Internet S/A. O curioso é que é o mesmo provedor que hospeda o site do candidato tucano.



Fontes:

– Tribuna Nacional – Dados do Registro.br

domínio: tribunanacional.com.br

entidade: Círculo Memorial Octaviano Pinto Soares

documento: 026.990.366/0001-49

responsável: Nei Möhn

2 – Nei Mohn

Matéria Veja de 1980 – http://www.arqanalagoa.ufscar.br/pdf/recortes/R06814.pdf

Matéria da Isto É de 1982 – http://www.arqanalagoa.ufscar.br/pdf/recortes/R03648.pdf
3 – Filho de Nei

Bruno Degrazia Möhn (OAB/DF 18.161)

Trabalha no escritório Menezes e Vieira Advogados Associados – http://www.migalhas.com.br/mostra_noticia_articuladas.aspx?cod=11457 – artigo defesa ppp

Escritório contratado por Dantas no caso BRT – http://www.anapar.com.br/noticias.php?id=6602

4 – Antonio Afonso Xavier de Serpa Pinto

Funcionário da secretaria estadual da fazenda de mato grosso
http://app1.sefaz.mt.gov.br/Sistema/Legislacao/legislacaopessoa.nsf/2b2e6c5ed54869788425671300480214/88e35b271696c3bf0425738500423ded?OpenDocument

5 – Zoltan Nassif Korontai

Site dele – http://www.projetovendabrasil.com.br/?pg=calculadora-de-ivestimento&p=253

Dados do registro.br

domínio: projetovendabrasil.com.br

entidade: CliqueHost Internet Hosting e Eletro Eletrônicos L

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

"Contra o Aborto"-"Pela Vida"-"Pena de Morte já!"

Nesta excelente charge do Maringoni....

O Perfil da direita:



Só faltou alguém com uma camisa afirmando que Direitos Humanos é coisa de quem gosta de vagabundo!

domingo, 10 de outubro de 2010

Direitalha bananeira do Brasil: Decida-se logo acerca do aborto!

A laicidade é usada pela direita ocidental apenas quando lhe convém, para bater em nações teocráticas não alinhadas aos EUA, por exemplo (as não alinhadas, claro, pois a amiga Arábia Saudita pode executar opositor e espancar mulheres à vontade).

Agora, num surto de santarronice, os neobeatos da família Civita condenam o aborto e acusam Dilma de "ser do mal", por conta de uma suposta posição dúbia em relação à descriminalização do procedimento de interrupção de uma gravidez indesejada.

Numa capa apelativa, o panfleto imundo da Abril tenta colocar a candidata petista em contradição:




O problema é que, em meio ao desespero frente à iminente vitória de Dilma, a Veja esqueceu do que já publicou e deu corda para o próprio enforcamento.







 E agora, Veja? A direitalha serrista vai acusar a brego-direitosa Hebe(entre outras) de matar criancinhas?


domingo, 3 de outubro de 2010

Dia de votar: Quem apoiamos

Imprensa se recusa a publicar anúncio do Sindicato sobre prisão de diretor durante a greve




A imprensa se recusou a publicar um anúncio do SindBancários em suas edições deste sábado, dia 2. O A Pedido mostrava o diretor do Everton Gimenis algemado e sendo conduzido ao distrito policial. A razão alegada pelos jornais Correio do Povo e Zero Hora era de que a publicação poderia prejudicar a governadora Yeda Crusius e sua candidatura à reeleição ao Piratini, uma vez que seu nome era citado.

O diretor do SindBancários Everton Gimenis foi detido na sexta-feira, dia 1º, quando estava na agência Navegantes do Santander, parada em razão da greve dos bancários. No ato da prisão, um advogado do banco estava coagindo os trabalhadores e ameaçando o direito de greve - assegurado pela Constituição - com um interdito proibitório. Confira

O que diz o anúncio:

QUE VERGONHA SANTANDER

Ao invés de proposta justa, a truculência da polícia de Yeda, prendendo trabalhadores.

Campanha Nacional dos Bancários
É hora de enfrentar a ganância dos bancos
A greve continua
Fetrafi-RS SindBancários

Greve de 2008

Na greve de 2008 os bancários foram vítimas da ação truculenta da Brigada Militar na manhã do dia 16 de outubro, durante manifestação que fechou a agência Central do Banrisul, na Praça da Alfândega, Centro da Capital. Mais de 200 bancários, reunidos no local num ato de mobilização para para exigir a reabertura das negociações com a direção do banco, foram dispersados com violência pelos policiais militares. Às custas da violência e com vários bancários feridos, a Brigada conseguiu reabrir a agência. Confira

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Soldados resgatam Presidente do Equador


Com apoio popular, exército resgata Rafael Correa, que estava retido por policiais no hospital onde se tratava, por conta dos ferimentos, na tentativa de golpe no Equador, ocorrida ontem.

Uma rebelião policial por conta de supostos cortes de benefícios seria a senha para um golpe trabalhado há tempo pela direita equatoriana. 

Dois policiais teriam morrido no resgate.

Mídia:

De modo muito suspeito, os meios de comunicação privados deixaram de emitir transmissões durante o golpe.

Fidel Castro comenta reação dos EUA:

"O golpe já está perdido. Até (Barack) Obama e (Hillary) Clinton não terão outra alternativa senão condená-lo"